expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Terminal Pesqueiro Recebe Visita do Grupo de Trabalho do Plano Básico Ambiental (PBA) do Complexo Farol-Barra do Furado.

O Grupo de Trabalho do Plano Básico Ambiental (PBA) do Complexo Logístico e Industrial Farol-Barra do Furado realiza trabalho de levantamento sócio-econômico-ambiental na localidade denominada Terminal Pesqueiro, na Barra do Furado. A localidade está situada na área de influência direta do empreendimento e o trabalho desenvolvido em cada residência por representantes dos 11 órgãos da Prefeitura de Campos, colhe dados gerais em formulário especial do PBA.
O objetivo do levantamento é reforçar informações sobre o Complexo Logístico e Industrial e os respectivos impactos e estabelecer um banco de dados com o perfil das famílias e da localidade, de forma a embasar medidas futuras, sejam nos aspecto social, ambiental e de infraestrutura.
O formulário de aplicação da pesquisa utilizado pelos membros do grupo de trabalho do PBA é único, ou seja, é utilizado tanto pelos representantes da Prefeitura de Campos na coleta de dados na comunidade do Terminal Pesqueiro, como pelos representantes da Prefeitura de Quissamã, na Praia de Barra do Furado.
O trabalho em sincronia com os representantes da Prefeitura de Quissamã, no seu respectivo território, na Praia da Barra do Furado (na margem direita do Canal das Flechas), deve-se ao fato de que as intervenções para implantação do Complexo Logístico Industrial Farol Barra do Furado (no qual o Terminal Pesqueiro estará integrado), e os respectivos impactos, decorrentes da implantação do Terminal Logístico Farol-Barra do Furado, será ostensivo na jurisdição territorial de ambos os municípios.

-Este trabalho que o pessoal está fazendo aqui na comunidade é muito importante. Está tirando dúvidas sobre como vai funcionar o Complexo - declarou o campeiro Paulo Ribeiro de Souza. “Acho que o Complexo Logístico vai trazer benefícios para todos. São os problemas constantes. Está todo mundo esperançoso de ter oportunidade de ter emprego e assim, dar mais tranquilidade para suas famílias”, disse o morador da localidade.

A dona de casa Cátia Rangel Barroso também considerou o encontro positivo. “Esse trabalho me ajudou a tirar dúvidas sobre o Complexo e fiquei feliz por saber que os dados colhidos nesta pesquisa vão servir para as autoridades fazer as obras mais adiante. O que precisar de informações de cada família, todos nós estamos prontos para colaborar”, declarou, Cátia.