expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Alunos da Escola Municipal Cláudia Almeida aqui do Farol, participaram de uma videoconferência com alunos americanos.

A grande repercussão de Campos na Campanha Internacional de Busca de Asteroides, realizada em 2014, rendeu mais uma experiência no cenário internacional para os alunos da Escola Municipal Cláudia Almeida, do Farol de São Tomé. Nesta terça-feira (12), eles participaram de uma videoconferência com alunos americanos de 7º ano (7th Grade), da Escola Sequoyah Middle School, cidade de Broken Arrow (Estado Oklahoma). A campanha contou com a participação de 23 escolas públicas, sendo 16 municipais, e registrou a descoberta de 63 asteroides.

Além de curiosidades sobre como foi a campanha na cidade, os alunos americanos perguntaram qual lua está sendo visualizada na cidade, quais estrelas e qual é a estação do ano. Os campistas também quiseram saber qual o conhecimento dos americanos sobre a cidade e o Brasil, tornando a videoconferência uma ferramenta de aproximação do cotidiano entre as duas cidades.

- Tanto os nossos alunos como os americanos se empolgaram e se interessaram muito pela forma de vida, o que conheciam de cada país. Foi uma experiência muito boa - diz a diretora da Cláudia Almeida, Maria Vitória Gonçalves de Araújo.

A videoconferência foi solicitada pelos Estados Unidos, já que a campanha em Campos foi a maior realizada no mundo inteiro. “Os alunos da Escola Cláudia Almeida se envolveram intensamente na campanha e por isso, tiveram muita experiência para trocar com os alunos dos EUA. Foi um momento muito importante e de grande aprendizado para os nossos alunos”, destaca uma das coordenadoras de Ciências, da Gerência de Ensino Fundamental 2, Carla Sales.

A campanha é uma proposta do programa de busca de asteroides, International Astronomical Search Collaboration (Iasc), com sede nos Estados Unidos, e coordenada pelo Clube de Astronomia Louis Cruls, em Campos. O presidente do Clube, Marcelo de Oliveira, que viabilizou a videoconferência, adianta que os alunos americanos já estão interessados em realizar um novo canal de comunicação com a cidade.

Para a mobilização das escolas municipais, foi feita uma parceria entre o Clube de Astronomia e a Coordenação de Ciências Fundamental 2, da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes (Smece), em que os professores foram capacitados para orientar os alunos sobre como identificar os asteroides e desenvolver a campanha.